Por Ana Luiza  •  01 jun 2015
6 Comentários

Essa tal de fome oculta

Fitness

A gente sabe o quanto é difícil se alimentar direito quando a vida fica corrida. Quanto mais compromissos diários cumprimos, maior é o cansaço ∼ e, muitas vezes, também a preguiça de cozinhar ou preparar um prato mais saudável para o almoço ou jantar. Some a isso o estresse da vida nas grandes cidades, ou a malhação em excesso, e pronto: o organismo sente os efeitos na forma de carência nutricional. Micronutrientes importantes ∼ como vitaminas A, B e C e minerais como Ferro, Iodo e Magnésio ∼ deixam de ser consumidos em quantidades adequadas, trazendo problemas à saúde.

Quando essa falta se torna crônica, ganha o nome de fome oculta. Mas por que oculta? Porque você não sente na forma de “estômago roncando”. Pelo contrário, ela é silenciosa e você nem percebe. O corpo sente a necessidade de um ou mais nutrientes e o organismo começa a ser afetado. Aí sim, você começa a sentir algumas mudanças no corpo, como dores musculares, cãibras, irritabilidade, palpitações, pele opaca, rugas precoces, unhas manchadas ou quebradiças, mucosas ressecadas, cansaço extremo ou fraqueza, esgotamento mental, queda de cabelo e flacidez, entre outras. Não é pouca coisa, né? Em casos mais graves de ausência de nutrientes, o quadro piora: há riscos de desenvolvimento de doenças cardiovasculares e câncer.

prato-saudavel

Imagem: NutriSoft

Esse problema, segundo a Organização Mundial de Saúde, é mais comum do que se imagina: uma a cada quatro pessoas no planeta sofre de fome oculta. Incluindo crianças, que podem ter seu desenvolvimento físico e intelectual prejudicados.

♥ Como acabar com ela
Em primeiro lugar, baseada nos sintomas, você precisa saber se tem mesmo fome oculta. E a melhor maneira de descobrir isso é por meio de exames clínicos específicos, recomendados por um médico ou nutricionista. São esses profissonais que poderão descobrir quais nutrientes estão faltando e quais as doses necessárias para deixar seu corpo bem nutrido novamente.

Se confirmado o diagnóstico, é preciso dar início a um bom plano nutricional para alimentar corretamente seu corpo. E isso significa esquecer de vez os alimentos industrializados {veja o post com dicas de lanches saudáveis}. Será preciso caprichar na dose de frutas {preferência às ricas em vitamina C, como laranja, morango, manga e mamão}, verduras {especialmente os vegetais folhosos, como agrião, alface, espinafre e rúcula}, legumes {como cenoura e pimentão}, proteínas {carnes, ovos, leite} e carboidratos {batata doce, feijão, soja e lentilhas}. Quanto mais colorido o prato, mais vitaminado e nutritivo ele será.

Mas fique atenta: o novo cardápio precisa ser levado a sério e de forma bastante regrada, até que seu corpo volte a ficar saudável novamente. O acompanhamento médico ou nutricional deve ser feito durante todo esse período. Ah, e mais uma dica importante: nada de fazer uso de suplementação vitamínica por conta própria. Além de não resolver o problema de forma adequada, pode ser prejudicial à sua saúde!

Sobre Ana Luiza Silveira: Jornalista, louca por assuntos relacionados a saúde e qualidade de vida, é fã de livros desde criancinha, tem uma paixão inexplicável por música latina e adora viajar.
Email: [email protected]

Comente pelo Facebook
Escreva o seu comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui

6 Comentários
  1. Carol R. - 01/06/15 - 11h32

    Sou meio a louca da dieta, as vezes exagero no meu rigor e acabando não dando bola pra fome oculta.
    bj
    Obs: a nutri acompanha tudo

    Responder
    • Fê Gonçalves - 01/06/15 - 11h38

      Perfeito, Carol, é bom ter o acompanhamento da nutricionista mesmo!! Beijos

      Responder
  2. Camila Faria - 01/06/15 - 13h19

    Não conhecia “essa tal de fome oculta”, que curioso isso. É sempre bom ficar ligado nos sintomas que o nosso corpo nos mostra todos os dias, né?

    Responder
    • Fê Gonçalves - 01/06/15 - 14h57

      Sempre, o nosso corpo “fala” e envia sinais quando algo não vai bem! Beijokas

      Responder
  3. Fernanda Machado - 01/06/15 - 14h37

    Perfeito, há algumas semanas mudei minha alimentação pra melhor e tenho sentido uma diferença enorme! To muito mais disposta, perdi uma barriga que me irritava, durmo melhor, espinhas sumiram, só me fez bem

    Responder
    • Fê Gonçalves - 01/06/15 - 14h56

      É tão bom os efeitos dessa mudança, né, Fê? Sei exatamente como é, pois também passei por esse processo. Como se tornou um hábito até hoje sinto os efeitos de ter uma alimentação mais saudável, é tão difícil eu ficar doente…Parabéns pela escolha!! Beijos

      Responder
UP
YouTube   blogamelhorescolha
Instagram   @amelhorescolha